PNUD e Parceiros reunidos em Retiro

O Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento (PNUD) promoveu um retiro de trabalho de 2 dias, que arrancou ontem no Centro de Aperfeiçoamento Técnico Agro-Pecuário (CATAP) no intuito de apresentar o balanço do ano 2016 da execução dos projectos Sistema de Alerta Precoce, Energia e Adaptação e planificar as actividades dos projectos para este ano.

Este retiro inseriu-se no âmbito da implementação dos projectos do sector do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável promovidos pelo PNUD, em parceria com as instituições nacionais e visou também identificar os constrangimentos, dificuldades e oportunidades para a obtenção de resultados sustentáveis.

O Assistente da Representante Residente do PNUD, António Viegas disse ao STP Digital que “no primeiro dia nós solicitamos a cada um dos parceiros, sobretudo os coordenadores de cada um dos projectos, que fizessem o balanço das actividades que foram planificadas para 2016, ver quais foram os problemas com que se confrontaram durante a execução dos diferentes projectos. Eu acho que foi satisfatória. Houve uma participação muito grande de cada um dos parceiros e nós pudemos tirar algumas ilações de como realizar melhor essa actividade. E para hoje o que nós vamos fazer é planificar. É verdade que já estamos um pouco atrasados porque estamos em finais de Janeiro, já deveríamos ter assinado os planos de trabalho e não o fizemos. Mas vamos ver se nós podemos sair daqui hoje já com as actividades programadas para 2017.”

Na avaliação do desempenho dos projectos em 2016, os projectos Alerta Precoce e Adaptação precisam de melhorias. Já o projecto Energia foi mesmo desaprovado na sua pontuação global, facto que se deve a lacunas na sua concepção. Nomeadamente, a questão da concessão privada das bacias hidrográficas. Problemática que será debatida em breve no Conselho de Ministros.

O Representante da AGER/COMPREC (um dos parceiros de implementação), Rui Séca, disse que deste balanço foi possível constatar o conjunto de actividades que foi realizado em 2016. “Esteve-se aqui a analisar em termos executórios como é que as actividades foram realizadas e hoje no segundo dia nós vamos começar a planificar as actividades para 2017. E aqui em trabalho de grupo esperamos dar o nosso contributo para que o que se fez mal em 2016 não se repita em 2017”, acrescentou Rui Seca.

Escrito por
Redação
O País Lusófonia Política Economia Sociedade Desporto Educação Cultura Multimédia Saúde
Cultura Angola     Embaixadas Futebol        
Demografia Brasil   Turismo Serviços Basquetebol   Gastronomia    
Geografia Cabo Verde   As praias Emprego Ciclismo   Folcrore    
História Guiné Bissau   Ecoturismo Imobiliário Canoagem   Festas Locais    
Clima  Moçambique   A Capital Meteorologia  Clubes        
Fotos  Portugal      Tecnologia Taykwondo        
  Timor     Links Úteis Capoeira        
  S.Tomé e Príncipe       Xadrez        

© 2015 STP Digital Lda. Todos os direitos reservados. | Desenvolvimento por Albatroz Digital | Manutenção por STP Digital Lda | Termos e Política de Privacidade | Publicidade