Redes Sociais : O poder ignorado pelo povo de São Tomé e Príncipe

Hoje terça-feira, 30 de junho, assinala-se o Dia Mundial das Redes Sociais. Em São Tomé e Príncipe, a data passa despercebida, enquanto em vários países africanos como o Uganda, bem como dos restantes continentes propagam uma serie de eventos onde a aprendizagem, partilha e reflexão sobre o assunto estão no trending topics, no intuito de tornar a data marcante e repensar sobre uma temática tão viva e presente no dia-adia das nossas sociedades.

O uso dessa ferramenta em São Tomé e Príncipe vem sofrendo mutações, embora seguindo o tradicional ritmo mal interpretado do "leve-leve", uma utilização incipiente para o que em tempos atuais já não representa um simples instrumento estagnado de comunicação, hoje é mais do que nunca um diário aberto, uma forma de socialização globalizada e um autêntico mercado com potenciais consumidores para as empresas. Hoje em dia, um simples “gosto” no facebook é sinónimo de dinheiro.

Vivemos numa era em que um simples texto de 140 carateres, pode derrubar um regime político no poder, um dos exemplos mais popular foi a proliferação do movimento conhecido como Primavera Árabe, que percorreu toda a região do Norte da África e do Médio Oriente, onde a utilização das redes sociais como Facebook e Twitter foram cruciais conforme um relatório divulgado pela Dubai School Government que aborda sobre o poder que ditam estas ferramentas no contexto atual no exercício de cidadania digital.

O fraco desenvolvimento da literacia Digital em São Tomé e Príncipe, pode quiçá justificar-se pela inércia em uma aposta com maior afinco na comunicação digital do país. A título de exemplo a página oficial do Governo e da Presidência da Republica continuam a não conhecer melhores dias desde os tempos mais remotos. Uma ausência a registar também nas redes sociais onde 22,8% da população mundial usa pelo menos uma vez por mês, dados em franco crescimento segundo o Banco Mundial e segundo eMarketer estima-se que em 2017 aproximadamente 2,33 bilhões de pessoas façam uso das redes sociais.

Apesar de todo este potencial nem todas as instituições e empresas são-tomenses se sentem confortáveis na utilização das redes sociais. O meio corporativo são-tomense deve dar primazia a ideia de articulação dos meios de comunicação tradicional de massa com novos espaços sociais oferecidos pela internet como forma de potencializar os seus negócios e chegar de forma estratégica aos consumidores. Algumas empresas já estão a dar os primeiros passos.

É de salutar também que algumas instituições públicas já estão a investir na comunicação nas redes sociais. Instituições como o Ministério de Educação e Cultura e Formação, Policia Nacional, e a Procuradoria da Republica são alguns dos exemplos que começam a afirmar-se no Facebook, mas que certamente precisam de um maior investimento na sua imagem, principalmente dado ao estatuto e a imagem institucional que representam na sociedade.

O mundo digital cresce expressivamente todos os dias. Em África o uso da Internet no telemóvel cresce exponencialmente e o país tem seguido o ritmo, mesmo na sua velocidade peculiar, não devemos descurar que a economia digital pode e deve se tornar um elemento estratégico no PIB do país, a economia digital não se restringe simplesmente ao comércio eletrónico. A um país como São Tomé e Príncipe não resta outra alternativa que não ser ousado.

TEDxSãoTomé vai no dia 25 de Julho ter um dos oradores que vai abordar sobre a direito, lei e responsabilidade digital, além do fundador do Skype que vai estar presente para demonstrar a importância do país em criar condições para colmatar a exclusão digital, criando fundamentos para uma cidadania digital participativa.

É preciso ter em conta a economia digital para o progresso do país. Progresso esse que será benéfico tanto para as empresas como para o consumidor final, neste caso o povo são-tomense. É papel do Estado promovê-lo junto das empresas e essas por sua vez criar ponte com os consumidores. São Tomé e Príncipe precisa de aumentar, o quanto antes, o desempenho em matéria digital, bem como uma boa prestação no campo dos serviços públicos digitais, somente assim começamos a transpor barreiras para tirar vantagens a um potencial que ignoramos.

Feliz Dia Mundial das Redes Sociais! E faça uma utilização responsável!

Escrito por
Mário Lopes